Porque os clássicos nunca morrem

28 de fevereiro de 2011

Oscar póstumo

Com 4 Comentarios
Acredito que a Academia não gosta muito de premiar postumamente alguns artista e profissionais da Sétima Arte na cerimônia do Oscar. Mas em 2009, ela não pode resistir, acabando por premiar o jovem falecido Heath Ledger por sua atuação magnífica em Batman, o cavalheiro das trevas como Coringa. Quem não se lembra no momento da entrega, em que o pai e a mão do jovem ator aceitaram a estatueta em nome do filho. Lindo demais.
Sabemos que este não é o único caso de premiação póstuma. Tivemos algumas premiações e indicações póstumas ao Oscar.

A primeira indicação póstuma foi logo na primeira cerimônia do Oscar, em 1929. A atriz Jeanne Eagles havia falecido em 1929 e, mesmo assim, concorria pela estatueta de melhor atriz naquele ano.


Douglas Fairbanks tinha falecido em 1939 e, no anos seguinte, foi premiado com um Oscar Honorário.


No mesmo ano, o roteirista de ...E o vento levou, Sidney Howard, que havia falecido em 1939, recebeu um prêmio póstumo de roterio adaptado por este filme.

O jovem James Dean, que faleceu devido a um acidente de carro em 1955, foi indicado postumamente como Melhor Ator pelos filmes Vidas Amargas (1955) e Assim caminha a humanidade (1956).

O grande ator Spencer Tracy também foi indicado ao prêmio máximo de atuação pelo filme Adivinhe quem vem para o jantar?, de 1967. A indicação era póstuma, pois o ator havia falecido no ano anterior.


Peter Finch venceu ao prêmio de Melhor Ator em 1977 pelo filme Network, mas, infelizmente, não pode comparecer para receber o prêmios, pois havia falecido um mês antes da cerimônia.

Ralph Richardson faleceu em 1983 e, no ano seguinte, estava concorrendo ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo filme Greystoke - A lenda de Tarzan.

A maravilhosa Audrey Hepburn perdeu a batalha para o câncer em 1993. No ano seguinte, seu filho, Sean, recebia na cerimônia do Oscar, o Prêmio Humanitário no lugar de sua mãe.

 O italiano Massimo Troisi tinha falecido em 1994 e, no ano seguinte, estava concorrendo ao prêmio de Melhor ator pelo filme O carteiro e o poeta.

O diretor de fotografia Conrad L. Hall ganhou o Oscar de Melhor Fotografia em 2002 pelo filme Estrada para perdição. Havia falecido no ano anterior.

Por fim, Heath Ledger que, por sua atuação em Batman, o cavalheiro das trevas, ganhou merecidamente o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2009, mas, infelizmente, tinha falecido no ano anterior. Sua família foi em seu lugar para aceitar o prêmio.

+1

4 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Márcia, post delicioso. Só um toque: a imagem postada do Fairbanks é o Jr. não o pai.
Viu o Oscar? Foi uma cerimônia fraquinha, né? Apresentadores sem graça, o canto chato de Dion exaltando os que partiram, a patética participação das criancinhas no momento final...Até um Kirk Douglas velho, muito velho, não querendo largar o palco de jeito nenhum, foi constrangedor... Mas os prêmios foram justos. Era mais ou menos isso mesmo... Assisti na TNT (por incrível que pareça, sem o Rubens Ewald Filho - o que aconteceu?), mas dei umas escapadas rápidas na Globo, não aguentando muito tempo a Maria Beltrão e o Wilker.
Abração

Estou com posts recentes. Apareça.

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

ativista disse...

Da hora o blog,gostei demais da postagem.
seguindo,segue ai tbm?
http://hiphopactivistface.blogspot.com/

Marcia Moreira disse...

Antônio, obrigada pelo toque. Já arrumei a foto. Quanto ao Oscar, acredito que as futuras cerimônias serão neste estilo e até com um tempo mais curto. Confesso que me emocionei com o Kirk Douglas apresentando um prêmio. Deveria fazer o mesmo com os outros veteranos do cinema como a Olivia de Havilland, por exemplo. Infelizmente, não assisti a toda cerimônia, pois tinha que acordar cedo pra trampar. Pego um trânsito danado.

Abraços.

M. disse...

De verdade, todos fizeram por merecer. O que entristece a gente é que eles não podiam estar lá físicamente para receber a estatueta. Um abraço.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial