Porque os clássicos nunca morrem

10 de agosto de 2010

As três faces de Betty Boop

Com 1 Comentario

E se eu dissesse que uma das personagens mais famosas de nossos desenhos clássicos, é, na verdade, três? Acredito que com esta postagem, poderei provar que existem três pessoas em uma só, no caso, o desenho.

Estamos falando de Betty Boop, um fenômeno aqui no Brasil presente em tudo quanto é acessório feminino. Ela nasceu na década de 1930 pelas mãos de Grim Natwick. Na época, causou um grande frenesi com seus modelinhos curtos e sua cinta-liga à mostra. Mas a censura baixou e não deixou mais que Betty exibisse todas as suas curvas, passando a usar roupas mais comportadas.

Só que alguns desenhistas se inspiram em alguém para criar um personagem, não é? Muitos apostavam em Mae West e Clara Bow, só que na verdade o nome da vez era Helen Kane, uma atriz e cantora dos estúdios Paramont. É dela o famoso Boop-Oop-a Doop-Girl que, dizem, ela o fazia em seus números para pontuar suas rimas. Porém dizem que esse som característico não era invenção dela, mas de uma cantora negra chamada Baby Esther, que não tinha recursos financeiros suficiente para abrir um processo. Infelizmente, Helen teve uma carreira curta e decadente, ao contrário de Betty Boop.


Agora, quem dublava Betty? Mae Questel foi a vencedora de um concurso de sósias de Helen Kane e, vejam só, tornou-se também a dubladora oficial de Betty Boop e também da Olívia Palito (Oh! Popeye!). Ao contrário de Helen, Mae teve uma boa carreira com atriz, principalmente na televisão, depois do sucesso com Betty Boop.


O que pudemos perceber é que, na verdade, Betty Boop não é somente uma, são três: a personagem, a musa inspiradora e sua dubladora oficial.

+1

1 comentários:

Anônimo disse...

na minha opinião ela se parece mais com a Mae Questel *_*

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial