Porque os clássicos nunca morrem

28 de novembro de 2010

Finalmente, assisti Robin Hood, de Ridley Scott

Com 2 Comentarios

Ontem à noite, na minha sessão caseira com meu namorado, finalmente, consegui assistir a Robin Hood, o atual de 2010 com Russel Crowe. Assisti à versão de 1939 com Errol Flyn e a de 1991 com Kevin Costner e, confesso com um nó na garganta, considero o de 2010 o melhor.

Explico: gosto de história, e o filme atual não fugiu da história verdadeira do Reino Unido da Idade Média; só o fato de o rei Ricardo Coração de Leão morrer neste filme já conseguiu o meu crédito. Para quem não sabe, o rei Ricardo morreu em batalha pelas Cruzadas, passando o trono ao seu irmão caçula e inconsequente, João Sem-Terra. O Reino Unido passou por maus bocados com o rei João.


Não conheço a lenda real de Robin Hood, mas acredito que esta versão de Ridley Scott seja a fiel. A maneira como Robin e Marian se conheceram não tem nada a ver com as versões anteriores, mais romantizadas. Marian era uma plebeia e viúva de um soldado que serviu ao rei Ricardo.


Confesso que gosto das coisas realistas, por isso admirei este filme e recomendo a todos que o assistam e aprendam um pouco de história através deste.

+1

2 comentários:

Sebo disse...

Pelo fato de conter Cate Blanchett eu assista, gosto bastante dela!
Agora, nunca fui grande fã de Robin Rood, algo a se pensar, rs

Ótimo blogue!
[]'s
sebosaukerl.blogspot.com

Marcia Moreira disse...

Obrigada pela visita, Sebo. Fique à vontade para ler e comentar as minhas postagens. Abraços.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial