Porque os clássicos nunca morrem

3 de setembro de 2012

Os primeiros filmes

Com 7 Comentarios


Falei de muitos filmes, mostrei muitas fotos antigas, mas não publiquei nada sobre os primeiros filmes exibidos em público.

Quem abriu o caminho foi Thomas Alva Edison, que criou, em 1888, o cinetoscópio, ou cinetógrafo, um dispositivo com visor no qual havia um rolo de 1,5 m de filme que rodava ininterruptamente. Considerada a primeira máquina de filmar, os primeiros filmes realizados pelo aparelho eram de dançarinas, animais amestrados e de homens trabalhando.

Thomas Alva Edison
Quanto ao nascimento do cinema, tudo começou em Paris, no final do século XIX, quando Edison demonstrava o cinetoscópio, e quem ficaram fascinados com essa invenção foram os irmãos Auguste e Louis Lumière. Como os dois trabalhavam no estúdio fotográfico do pai, Antoine, em Lyon, não foi difícil criar uma máquina desse gênero ainda melhor. Em Paris, Louis começou a desenvolver o cinematógrafo, que era uma câmera com projetor, patenteado pelos irmãos em 1895.

Cartaz da apresentação do cinematógrafo dos irmãos Lumíère

Cinematógrafo

Criado o cinematógrafo, os irmãos Lumière fizeram sua primeira apresentação em público no mesmo ano da patente, em Paris. A apresentação durou 20 minutos com dez filmes gravados com o cinematógrafo imóvel.

Um dos filmes exibidos foi A saída da fábrica Lumière, em que centenas de pessoas passavam pelos portões da fábrica. Dizem que o filme foi ensaiado, pois as pessoas não olhavam para a câmera imóvel ou caminhavam na sua direção.



Outro filme apresentado pelos Lumière era O regador regado, considerado a primeira comédia. Nele, um jardineiro toma uma ducha de água provocada pela travessura de um adolescente que pisa na mangueira e depois solta.



O filme Chegada de um trem à estação é outro filme dos Lumière, em que é apresentada uma sequência de um só plano de um trem chegando à estação. Dizem que as pessoas que assistiam ao filme se protegeram sob as poltronas, pois estavam convencidos de que o trem era real.



Um dos espectadores da apresentação dos Lumière era Georges Méliès, que era ilusionista, caricaturista, inventor e mecânico; este ficou muito impressionado com o que viu. Ele aproveitou a invenção dos irmãos e, com isso, inaugurou o Théatre Robert Houdin, transformando-o em cinema.

Georges Méliès
Em 1898, Méliès, enquanto filmava uma cena de rua, o obturador de sua câmera travou; com isso, percebeu o potencial da fotografia para criar efeitos ilusórios, passando a usar truques como sobreposição e stop motion. Por isso, o francês é considerado o “pai dos efeitos especiais”; Charles Chaplin o chamou de “o alquimista da luz”; D. W. Griffith disse que “a ele, tudo devo”.


L'homme a la tête en caoutchouc (1901)
Um dos filmes realizados com esses efeitos foi O melômano (1903), em que o próprio ilusionista interpreta um músico que substitui, sucessivamente, sua cabeça, jogando uma a uma num fio telegráfico como se fossem notas musicais.

Com isso, entendemos que Thomas Edison abriu o caminho para o cinema que conhecemos hoje. Alguns estudiosos sobre o assunto consideram o trabalho dos Lumiére voltado para documentários e o de Méliès, para ficção. Os irmãos viajavam registrando o mundo, enquanto o ilusionista ficava no seu estúdio criando obras fantásticas como seu famoso Viagem à lua (1902).



+1

7 comentários:

Fimc14 disse...

Na França há uns prémios com o nome dos irmãos Lumière.
A Invenção de Hugo mostra um pouco da história de George Méliès, e dá para aprender com esse filme, eu gostei muito.

Marcia Moreira disse...

Com muita vergonha, digo que ainda não assisti "A invenção...". Quero muito assisti-lo.

Devaneios disse...

Há quanto tempo, Márcia!
Muito interessante o seu post. É um prazer relembrar isso desses grandes desbravadores do cinema. E é claro, se divertir assistindo muitos dos filmes do Méliès.

Marcia Moreira disse...

Olá, Devaneios.

Também estava com saudades desse espaço. Obrigada pela visita.

Beijos.

disse...

Admiro demais esses pioneiros do cinema. Eles são a razão de tudo que veio depois!
Além de hugo, gosto muito de documentários que tratam desse período. Um dos meus favoritos é "Aprendendo a Falar".
Passo aqui para avisar que tem um selinho em meu blog esperando por você! Beijos!

Rodrigo#8 disse...

Excelente blog, muito bom mesmo! Também tenho um blog sobre cinema, bem mais modesto hahaha (vou deixar o link ao fim) sou estudante de história e deixo aqui meu agradecimento já que alguns filmes aqui irá me ajudar no meu TCC hehehe!!!

caso queira dar uma espiada no meu, fique a vontade - http;//www.lasetimaart.blogspot.com

Marcia Moreira disse...

Obrigada, Rodrigo. Fico feliz que o meu blogue está lhe ajudando. Boa sorte com seu TCC.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial